Estou trabalhando DOBRADO , virando a noite acordada ( não consigo mais dormir mesmo ) para deixar meus serviços em dia ! Tudo para que a Lala possa vir e me ter 100% pra ela.

As vezes me pego perguntando pra Deus se estou errada em querer trabalhar tanto, se fazendo isso, estou retirando das mãos dele a confiança financeira que tanto digo que entreguei.

Mas a preocupação em deixar clientes na mão, ou de parar de ganhar dinheiro me assombra. Afinal, eu tenho uma filha agora, quero poder dar tudo pra ela.




Mas ainda sim, a ansiedade de pega-la no colo é maior do que a vontade de trabalhar, pode ter certeza. Sabe se vai ser parecida comigo ou com o Pai, saber se vai ser loira ou morena, de olhos claros ou escuros. Aii gente , quanta coisa passa na nossa cabeça ...


39 semanas de gestação HOJE ! 
dia 5 de outubro

Betinna ainda não deu nenhum sinalzinho que quer vir conhecer o mundo fora da barriga. Algumas semanas atrás eu estaria reclamando e deixando todos com dor de cabeça de tanto chorar, lamentando o fato de estar ENORME, sem posição pra dormir, com dores pelo corpo e ( não menos importante ) Inchada em todas as parte. 

Agora, com 39 semanas, a única coisa que eu tenho a dizer é: Filha, fique o tempo que precisar, não tem pressa.
"Oxi Nathalia, o que houve ?" MEDO, muito medo, minha gente! 

Primeiro, medo do parto.
Acho que toda mulher sente esse medo, sem exceção. Todas as conversas com mães que tive pessoalmente, aquelas também que conheci em grupos de gestantes pela internet e dos videos do Youtube (que praticamente tem sido meu cinema nesses últimos dias) Dizem que sentiram medo sim, tanto para a cesária, como para o parto normal.




Segundo, medo de não conseguir trabalhar.
Pois é, depois do medo do parto e de suas dores, vem essa Dorzinha, a dor de não conseguir trabalhar. Para quem é autônomo e nunca pagou um dia sequer de INSS sabe que tempo é dinheiro. Eu não tenho licença maternidade e não vou receber nenhum beneficio do governo por estar colocando no mundo uma criança. Eu preciso trabalhar para ganhar meu sustento. 

E mais uma vez, as pessoas gostam de dar pitaco e seus comentários ( um tanto que infeliz para quem é mãe de primeira viagem ) : " Você não vai conseguir trabalhar depois que ela nascer, você vai viver só pra ela, não vai ter tempo nem de dormir, muito menos tomar banho, quem dirá sentar para trabalhar. " Eu só consigo imaginar um bebe gigante me acorrentando pelo pescoço e dando chicotadas nas minhas costas.

Terceiro, medo de muitas visitas
"Que Besteira!" você deve estar pensando " Receber visitas é tudo de bom, elas estão preocupadas com você e querendo ver o Bebê "
Não ! Eu não sou daquelas que gosta de casa cheia de gente ( culpem meu pai por isso, essa frescura é totalmente dele ) Gosto de ficar em casa em Paz e Silêncio. Mas o que eu quero é o de menos.

Sei que VOU PRECISAR desse tempo de calmaria dentro de casa, pelo menos durante 1 Mês de vida da Betinna. É um recém-nascido, ela vai precisar desse tempinho para se acostumar com outra realidade.

Tenho medo das pessoas não entenderem e querer ficar vindo fazer visitas desnecessárias para um Bebê que na maioria do tempo ficará dormindo e eu não vou deixar ninguém acordar. ( Afinal de contas, não é a visita que vai passar a madrugada acordada com o bebê né?! ) 



Quarto e último medo 
( tem outros , mas só 4 tá bom pra registrar )

Não saber cuidar de um recém-nascido.

Louvo à Deus por ter uma família abençoada e que se importa comigo
( muitas mulheres, acreditem, não tem essa sorte ) 
Minha sogra programou as férias dela por esses dias, e já está de plantão esperando a ligação dizendo: " CORRE ! Tá Nascendo " pra pegar o primeiro ônibus de SP- Marília.

Tenho uma tia que está mais ansiosa que minha mãe, já disse que se eu precisar ela fica o dia inteiro cuidando e limpando a Betinna para que eu possa descansar e trabalhar.

Tenho minha mãe, que sei que é a melhor de todas as mães ( afinal de contas, eu sou uma pessoa perfeita . hahahaha ) Acompanhei todo o cuidado que ela teve com higiene, alimentação e segurança com a criação da minha irmã, que quando nasceu, eu tinha 16 anos. Era até um pouco chata em relação à isso, lembro que a Beatriz demorou pra fazer um passeio, comer certo tipos de alimento e fazer outras coisinhas por pura precaução.




Minhas seguranças:

Já que falei dos medos, vamos citar as coisas das quais eu não tenho medo:

Primeiro, Paternidade.

Em nenhum momento passou pela minha cabeça que o Tony virá a ser um pai ruim, NUNCA, muito pelo contrário, eu já me imaginei sendo a pessoa mais egoísta do mundo durante a criação da minha filha como: "Não vou mais poder comprar roupas pra mim, droga " ou " Não vou mais ter tempo de sair e voltar a hora que eu quero "

Eu só esqueci que não sou mais adolescente! hahaha, esses pensamentos eu deveria ter caso eu tivesse grávida aos 16. Mas estou com 27 anos ( rostinho de 20 ) Já deveria ter descartado esses pensamento há muito tempo.




O Tony, ao contrário de mim, tem uma cabeça mais equilibrada ( depois de alguns perrengues que passamos no começo do casamento, homem sempre demora para se acostumar com a vida de casado ) Hoje ele sabe se doar mais que eu. Apesar de não gostar de abrir mão de seu sagrado SONO.

O Tony abre mão de algo de comer, de alguma recreação com os amigos e até de coisas materiais... para o meu bem estar. Agora terá duas mulheres regendo essas coisas na vida dele. Por essa simples característica do Tony eu me sinto totalmente confortável com o pai que escolhi para minha filha. Sei que ele está disposto em colocar o nosso conforto em cima de suas vontades.

Ele é ativo, dinâmico, engraçado e temente à Deus, com o Tony não tem tempo ruim e se o tempo fechar é porque a coisa já estavam sérias há muito tempo.

O Tony não tem "nojinho" diferente de mim. Ele já bota mão e limpa tudo o que precisar sem ficar gorfando por ai. ( Ou seja, ele vai ser o trocador de fraldas oficial )


Segundo, Segurança financeira.

É... eu disse que estava com medo de não conseguir trabalhar, mas nesses últimos meses eu trabalhei tanto que consegui reunir uma boa quantia pra passar pelo menos dois meses sossegadas, depois de dois meses eu espero voltar a trabalhar tranquilamente.

Tem também o salário do Tony, que mesmo que menor ( ele trabalha apenas 3 dias na semana ) é a grana que paga nossas necessidades básicas do mês.

E se caso esses dois pontos acima não funcionarem, tenho minha família pra gritar por socorro. hahaha.






Terceiro e ultimo ponto MAIS IMPORTANTE. DEUS

Deus tem se feito TÃO presente nesses últimos dias que seria ridículo eu pensar que estaria sozinha nessa nova etapa da minha vida. Ele faz tudo certo.

Ano passado me deu uma gestação na qual perdi o bebe, mas ganhei uma nova vida.

- por causa daquela gestação, paramos de fumar, mudamos hábitos ruins na nossa vida, eu consegui emagrecer e minha saúde aumentou numa porcentagem de 100%

- por parar de fumar, começou a sobrar mais de 400 reais por mês na conta mensal.

- conseguimos um carro ( com ajuda do sogro ) e uma casa mega confortavel ( sem aluguel com ajuda de uma tia )

- meu trabalho aumentou, fiquei Hiper conhecida sem precisar fazer esforço e hoje tenho uma renda de dar inveja à funcionário público.

- o Tony voltou a trabalhar com a área que tanto ama ( animais  ) sem ser explorado ( trabalhando apenas 3 dias na semana ) ficando assim com tempo para se dedicar ao lar e a sua filha.

Deus preparou o palco para a chegada da Betinna.

O quartinho dela está a coisa MAIS LINDA DO MUNDO, eu entro e fico babando em cada detalhe, que nem nos meus sonhos mais lindo eu havia imaginado que ficaria assim.




GANHEI PRATICAMENTE TUDO 

Roupas, toalhas, mantas, cobertores, sapatinhos ... tudo... tudo o que a Betinna vai vestir ela ganhou de amigos, cliente, familiares e irmãos da igreja. Papai e mamãe só se dedicou na montagem do quartinho.

Já tenho Fraldas suficiente para muito tempo.





ENFIM...

Ela já tem tudo o que precisa, MESMO, agora não falta nada. Só falta a coragem da mamãe! Mesmo assim, parece que 7 dias se tornou 7 anos.


Nunca sofri na pele a plenitude dessa frase: O tempo não passa. 
Nestas fotos eu ainda estava bem, sem tanta ansiedade pois ainda conseguia dormir sem chorar de dores fortes, ainda conseguia virar o dia inteiro trabalhando, ainda conseguia andar sem parecer uma pata e o melhor, um Jeans velho tamanho 44 ainda entrava ( e eu comemorava de não ter jogado o coitado fora quando passei para o 40 ) 

Eu devia estar com 30 ou 31 semanas nessa foto ! repare que estava maquiada e não havia estrias na barriga .






Mas o que dizer de agora? olha só a pessoa cobrindo o nariz pq ele tá quase do mesmo tamanho da barriga . Olha a barriga cheia de estrias, a cara de cansaço e o corpo gritando para saber o que está acontecendo que você não consegue mais dormir .






É Filha ! quando a mamãe brigar com você por algo e você não gostar, não fique emburrada e nem triste com a mamãe, Eu sei como é esse sentimento, eu também já fui filha. Mas só agora sendo mãe que eu sei que as Mães não fazem isso querendo o nosso mal ou nossa tristeza ( pode parecer )

Tudo isso que passamos durante uma gravidez é a maior prova de que queremos o MELHOR pra vocês filhos.

Não pode comer isso, não bota sal na comida, não pinta esse cabelo, não durma de barriga pra baixo ou ... Não durma, não pode alisar o cabelo, não pode andar de moto , não pode ... não pode... não pode...

Quando é o  "Não pode" é o "Não consigo"

Não consigo parar de mijar, não consigo dormir, não consigo abaixar, não consigo nem colocar a calcinha sozinha, não consigo vestir meu jeans, não consigo mais colocar um sapato alto ...

Só engravidando para saber o verdadeiro valor de um filho. o verdadeiro amor de uma mãe.